UM POUCO DE HISTÓRIA SOBRE AS ALDEIAS DA UNIÃO DAS FREGUESIAS DE BIGORNE, MAGUEIJA E PRETAROUCA:

 

A União das Freguesias de Bigorne, Magueija e Pretarouca, no concelho de Lamego, foi criada pela Lei 11-A/ 2013 de 28 de Janeiro, ficando Magueija como sede.

São inúmeros e ancestrais os povoados que compõem esta União das freguesias, virados a Norte e localizados numa das mais belas e espectaculares cordilheiras da serra de Montemuro, entre os 800 e os 1200 m de altitude. Lindas e acolhedoras aldeias serranas! Aldeias frescas, verdes e plenas de água!...No inverno os seus montes e vales  cobrem-se de neve, e, no Verão, vestem-se de cearas, de feno, de giestas, de carvalhos e de soutos. Esta edílica união de antigas freguesias oferece ainda diversos e apelativos motivos turísticos: miradouros, fontenários, igrejas, capelas, cruzeiros, cruzeirinhos, pontes, artesanato, pesca, caça, praias fluviais, etc.   

    

Bigorne – Situa-se a cerca de 980 metros de altitude e é rodeada por zonas de penedia, mato e floresta de carvalhos. Tem por orago S. Sebastião. A sua localização e vestígios arqueológicos, (as construções circulares, as covinhas e os fornos) revelam a antiguidade do seu povoamento.  As elevações vizinhas, como a Fraga e o Seixo, sobre a localidade de Ribabelide eram locais de fácil defesa aos povos pré-romanos. O próprio topónimo local “ Outeiro  Mourisco” indica a presença desses povos. O nome primitivo de Bigorne era “Bigórnia”, depois de “Bigorna” representando uma agreste e antiga “villa Bicórnia”, alusão à configuração topográfica da freguesia, quando observada de determinado ângulo. A paróquia de Bigorne, em 1530, ainda não estava criada eclesiasticamente, pois não se encontra mencionada no Censual de Cabido de Lamego dessa época; mais tarde, Bigorne passa a ser curato anexo à Sé de Lamego.  Durante anos até perto de 1930, a freguesia de Bigorne esteve anexa à de Pretarouca para efeitos administrativos, mas separada eclesiasticamente. De acordo com o padre D. Joaquim de Azevedo, no ano de 1834, o lugar de Ribabelide passou a pertencer à freguesia de Bigorne. Como monumentos históricos a salientar, podemos encontrar a igreja matriz em Bigorne, uma capela em Ribabelide dedicada a Nossa Senhora de Guadalupe,  algumas fontes e cruzeiro. Os seus habitantes dedicam-se à pecuária, à agricultura  e ao comércio, verificando-se na camada mais jovem um fluxo à emigração.

 

Magueija - Magueija está situada na margem esquerda do rio Balsemão.  Tem como orago S. Tiago,  cuja festa é celebrada todos os anos no mês de Julho. O topónimo “Magueija” é de origem pré-romana. O Padre e historiador regional Manuel Gonçalves da Costa, no seu livro “ Paróquias Beiraltinas Penude e Magueija” aponta-lhe ligações à pré  História e raízes pré Celtas e, acrescenta, que são  os vestígios da presença romana que melhor atestam a antiguidade da extinta freguesia. Refere ainda, a existência de um povoado romano no lugar de Santa Marinha, este o mais antigo núcleo rural de que há notícia em Magueija. Existe em Magueijinha um pelourinho, que testemunha que Magueija foi sede de concelho, com jurisdição e autonomia municipal, até à reforma do liberalismo em 1835, data em que foi incorporado no concelho de Lamego, e, como tal, é referenciada no Cadastro da população do Reino de 1527. Os montes de Magueija fazem parte de um complexo de elevações montanhosas, que  irradiam em várias direcções, a partir da Serra de Montemuro. Estas características do relevo, propícias à defesa e a fertilidade dos seus terrenos, constituíram pontos de atracção para a sedentarização das populações. Em termos de património cultural e edificado, Magueija é rica e dispõe dos seguintes monumentos: a igreja matriz em honra do orago S. Tiago, cinco capelas, cada uma em seu povoado e dedicada a seu Santo, vários cruzeiros espalhados pela aldeia, um pelourinho, inúmeros fontenários, várias pontes sobre o Rio Balsemão, moinhos de cereal, etc. No aspecto económico, Magueija caracteriza-se pelo seu aspecto rural. O cultivo da batata, trigo, centeio, produtos hortícolas e criação de gado eram as principais actividades a que se dedicavam as pessoas, para além de algum comércio local. Actualmente existe uma agricultura reduzida e de subsistência, cuja mão de obra é realizada pelos habitantes mais idosos, pois grande parte da população  jovem emigrou, ou foi trabalhar para os grandes centros urbanos.

 

Pretarouca - Pretarouca, esteve muitos anos anexa a Bigorne, para efeitos administrativos. Foi uma antiga freguesia rural e dela faziam parte dois povoados: Pretarouca e Dornas. Nos cumes que rodeiam Pretarouca registaram-se vestígios arqueológicos ( construções circulares, covinhas, fornos, etc.) que revelavam ser um povoamento muito recuado. A forma antiga do topónimo Pretarouca (que é Porto Tarouca), sendo o segundo elemento de origem arábica, prova uma colonização árabe nesta região serrana. A forma mais correta do nome actual seria Pertarouca, mas nos documentos oficiais aparece com a grafia de Pretarouca. Em documentos mais antigos aparecem também as formas Portarouca e Preta Rouca.  De património edificado destacam-se a igreja matriz em honra de São Nicolau, uma capela  no lugar das Dornas, algumas fontes e cruzeiros. Actualmente  foi construída em Pretarouca uma barragem sobre o rio Balsemão. Esta barragem tem como função assegurar o abastecimento urbano de água aos concelhos de Tarouca, Lamego e de Resende e ainda parte dos concelhos de Castro Daire, de Vila Nova de Paiva e de Cinfães. A população de Pretarouca vive ainda hoje da agricultura, pecuária e construção civil. Os jovens, tal como nas outras localidades, deslocaram-se para os  grandes centros urbanos e estrangeiro em busca de melhores condições de vida.

in "Grande Enciclopédia Luso Brasileira"

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

  • Tradicional magusto da ADSC

    Tradicional magusto da ADSC

    Publicado em 12 Novembro 2018

    A Associação ADSC vai promover novamente o tradicional magusto.Um evento cultural, aberto aos sócios e a toda a população residente na União de Freguesias.
-
  • Obras na União de Freguesias

    Obras na União de Freguesias

    Publicado em 12 Novembro 2018

    A Junta de Freguesia continua empenhada na realização de obras de manutenção e melhoramento na União de Freguesias. Algumas das obras realizadas recentemente: ( Alargamento da Rua Travessa de Carneiro...
.
  • Tradicional debulhada - ADSC

    Tradicional debulhada - ADSC

    Publicado em 27 Setembro 2018

    A Associação "ADSC” irá levar a cabo a tradicional desfolhada e a debulhada do milho na aldeia. Participe neste evento!
.